Quando o crescimento do pterígio sobre a córnea ultrapassa 2,5 mm, há distorção da curvatura corneana, com repercussão sobre o erro refracional. Se negligenciado, o pterígio pode, ocasionalmente, aumentar ainda mais, encobrindo parcial ou totalmente o eixo visual.

A indicação do oftalmologista pela realização da cirurgia é feita quando há ameaça real à visão ou se esta já se encontra comprometida. Uma vez decidida a remoção do pterígio, temos optado pela técnica cirúrgica que utiliza o transplante conjuntival, que abrange a exerese de pterígio e a reconstrução com transplante de conjuntiva. Esta técnica proporciona bons resultados estéticos e taxas de recidiva muito baixas. Técnicas mais antigas, como a técnica de esclera nua, conhecida como raspagem, geram taxas de recidiva elevadas, que, quando ocorrem, são motivo de grande contrariedade para o paciente.

Sintomas de Pterígio

O pterígio pode provocar desde uma simples irritação leve nos olhos até alteraçoes visuais importantes, em casos mais avançados. Normalmente, no início, a pessoa se queixa que o olho costuma ficar vermelho e que sente uma sensação de areia, de corpo estranho, principalmente se vai à praia ou à piscina ou, ainda, se fica muito em ambiente com ar condicionado. Se o quadro evolui, passa a se queixar de irritação ocular frequente, com ardência, queimor, prurido(coceira) e até mesmo ressecamento ocular. Em casos em que o pterígio cresce muito sobre a córnea (vide foto abaixo), pode até provocar astigmatismo e com isso “embaçamento” visual e alteração no grau dos óculos. Pessoas que desejam usar lentes de contato ou querem ser submetidas a cirurgias refrativas para tramentos de ametropias e são portadoras de pterígio muitas vezes precisam antes ser submetidas ao tratamento deste.

Tratamento de Pterígio

Tratamento clínico
Quando o pterígio é pequeno e provoca pouco incômodo, pode-se optar por um tratamento mais paliativo, apenas dos sintomas, à base de colírios. Os colírios, que podem ser vasoconstrictores ou lubrificantes, não farão desaparecer o pterígio, apenas aliviam momentaneamente o desconforto. O uso de óculos escuros e, em algumas situações, compressas de soro fisiológico gelado, tambem são alternativas para amenizar a irritação.

Tratamento cirúrgico
Para se resolver de forma efetiva o pterígio devemos lançar mão da cirurgia. Ao longo das últimas décadas, muito já se tentou em termos de cirurgia para remoção do pterígio, mas a maioria delas resultava em um resultado estético não muito favorável ou , o que é pior, com alto índice de recidiva, ou seja, retorno do pterígio, algumas vezes numa condição pior que a anterior. Finalmente, desenvolveu-se uma técnica muito eficaz e com excelentes resultados estéticos que é realizada hoje nos grandes centros oftalmológicos do Brasil e do mundo e que aqui no IOF já realizamos há mais de 10 anos com baixíssimo índice de recidiva.

© 2018 . Direitos reservados . Desenvolvido por Inventiva Propaganda

WhatsApp